Skip to content

O cantinho dos afetos… e da saúde

Agrupamento de Escolas de Anadia

14440753_1197541416935144_2450458796189309078_n

Licínia Simões – coordenadora do PES

Caros Parceiros,

 A Organização Mundial da Saúde (OMS), em Health for all, estabeleceu metas de saúde para os próximos anos, prevendo na Meta 13 que a promoção da saúde e os estilos de vida saudáveis tenham uma abordagem privilegiada no ambiente escolar, de modo a que a  maioria das crianças que frequentem a Escola integrem estabelecimentos de educação e ensino promotores da saúde. Considerou-se ainda como Escola Promotora da Saúde aquela que inclui a educação para a saúde no currículo e possui atividades de saúde escolar, como é o caso do Agrupamento de Escolas de Anadia.

 Portugal integra a Rede Europeia de Escolas Promotoras da Saúde desde 1994, com uma parceria formalizada entre os Ministérios da Saúde e da Educação, onde ambos assumiram a promoção da saúde na escola como um investimento que se traduzirá em ganhos em saúde. A referenciação para a equipa de saúde escolar de crianças e jovens com deficiência ou doença crónica, perturbações do desenvolvimento, do comportamento, emocionais ou relacionais e/ou outras é importante para o bom desenvolvimento da criança/jovem. Contamos com a continuação do excelente trabalho em parceria que temos desenvolvido.

Estamos num novo ano letivo – 2016-2017 –  um ano com muita saúde e excelente educação!

A equipa da UCC Anadia, deseja um bom regresso às aulas! às Crianças, às Famílias, aos Professores e ao Pessoal não docente .

Cruzamo-nos por aí!!

Sinceros Cumprimentos,

Silvana Marques

Coordenadora UCC Anadia

uccbebe3-1regresso

Artigo original: Casal mistério

1

Sabia que um sumo Compal de pera rocha tem quase mais 50% do açúcar que existe num Magnum Peanut Butter? E que três colheres de sopa de granola de frutos vermelhos equivalem a mais de dois pacotes de açúcar? Ou que um iogurte líquido tem praticamente a quantidade total de açúcar que devia ingerir ao longo de um dia inteiro?

Pois então, sente-se bem na cadeira e prepare-se para o impacto porque nós juntámo-nos à cadeia de restaurantes de comida saudável Go Natural para fazer as contas ao açúcar que ingerimos no dia-a-dia. E as surpresas são muitas.

http://rd3.videos.sapo.pt/playhtml?file=http://rd3.videos.sapo.pt/lEDma2EhGEEFHWk38QAi/mov/1

Vídeo

O resultado é um vídeo curto em que contabilizamos os açúcares simples que existem em 16 comidas e bebidas habituais na nossa vida: tanto os açúcares adicionados (que são um perigo bem identificado), como os açúcares naturais (que tantas vezes passam despercebidos). As contas foram todas rigorosamente supervisionadas pela nutricionista Inês Onofre Domingues, da Clínica Oficina de Psicologia, com recurso a várias fontes científicas.

Depois, calculámos quantos pacotes de açúcar existem em cada comida e bebida, com base na nova regra da Direção-Geral de Saúde, que estabelece um limite de 5 gramas de açúcar por pacote. Finalmente, comparámos essas quantidades com a recomendação da Organização Mundial de Saúde: ninguém deve ingerir mais do que 25 gramas (ou cinco pacotes) de açúcares simples por dia (sejam eles naturais ou adicionados). E é assim que percebe que, ao beber dois copos de sangria já está a ultrapassar o limite máximo de açúcar que devia ingerir ao longo de todo o dia.

2

É claro que o açúcar que existe na fruta é bastante mais saudável do que aquele que existe numa Coca-Cola. Os açúcares adicionados deviam ser totalmente eliminados, mas mesmo a quantidade de frutose ingerida tem de ser controlada.

Este não é contudo o único factor que o devia preocupar na sua alimentação. Por exemplo, uma bola de Berlim só tem 12 gramas de açúcar, mas tem ainda gordura e hidratos de carbono. E tudo isso deve pesar no momento de avaliar o que deve ou não comer. Se vir o caso de um cachorro quente, percebe que os 8 gramas de açúcares simples não são o mais preocupante. É preciso ter também cuidado com a gordura e com os 40 gramas de hidratos de carbono complexos que são absorvidos pelo seu organismo, transformando-se, de uma forma diferente e mais demorada, também em açúcares.

Mas o melhor mesmo é ver o vídeo antes de decidir se quer realmente beber aquela Coca-Cola que lhe estava a apetecer tanto. São sete pacotes de açúcar, quase mais 50% do que devia ingerir ao longo de um dia inteiro.

3

Lista dos Alimentos Analisados

  • 170 g figos = 28,7 g de açúcar
  • 160 g de uvas = 29,8 g de açúcar
  • 160 g de pizza CheeseHam, da Pizza Hut = 4,7 g de açúcar
  • 110 g de cerejas = 14,6 g de açúcar
  • 200 ml de vinho branco = 2,4 g de açúcar
  • 1 copo de sangria = 19,01 g de açúcar
  • 65 g de Bola de Berlim = 12,04 g de açúcar
  • 1 iogurte líquido Tutti Frutti = 20,8 g de açúcar
  • 45 g de granola de frutos vermelhos Cem por Cento = 12,6 g de açúcar
  • 1 Magnum Peanut Butter = 19 g de açúcar
  • 1 lata de Coca-Cola = 34,98 g de açúcar
  • 100 g de pipocas Continente = 39 g de açúcar
  • 1 balão de gin com 200 ml de água tónica = 18 g de açúcar
  • 1 cachorro quente com pão brioche, salsicha, 25 g de ketchup, 15 g de maionese, 1 dose de mostarda = 8,15 g de açúcar
  • 1 garrafa de leite com chocolate Ucal = 25 g de açúcar
  • 330 ml de Compal Clássico Néctar Pera Rocha = 28,05 g

 

Um óptimo dia para si onde quer que o açúcar esteja,

Ele

 

Um vídeo com o apoio Go Natural

Agradecimentos: Inês Onofre Domingues, Clínica Oficina de Psicologia

... até setembro!! Boas férias para todos!!

… até setembro!!
Boas férias para todos!!

Licínia Simões – coordenadora do PES

roda da A. M.

É um guia alimentar com características mediterrânicas cujo objetivo é promover e valorizar este padrão alimentar junto da população portuguesa.

É uma representação gráfica que assenta na Roda dos Alimentos Portuguesa; pretende-se dar ênfase às características do padrão alimentar mediterrânico (PAM), salientando não só a componente alimentar, mas também os elementos inerentes ao seu estilo de vida.

Em forma de roda (que reflete o prato e o convívio mediterrânico à volta da mesa) e não de pirâmide, esta representação gráfica evidencia os alimentos mediterrânicos mais relacionados com o padrão português em cada um dos seguintes grupos: óleos e gorduras (azeite/azeitonas – alimento e respetivo fruto de origem); hortícolas (cebola, alho, couve galega, grelos, tomate, pimentos, beldroegas…); fruta (melão, figo, ameixa, citrinos, nêspera, romã…); cereais e tubérculos (batata doce, castanha, massa e arroz integrais, flocos de aveia, pão de centeio, broa…); carne, pescado e ovos (peixe, em especial sardinha, carapau, cavala, atum…); laticínios (queijo e iogurte); leguminosas (todas).

Há ainda duas mensagens relativas a consumos fortemente associados ao PAM, os frutos gordos e o vinho, que são salientados mas não incluídos nos grupos da Roda por não se pretender promover o seu consumo diário. No que respeita ao vinho reforça-se o seu consumo moderado e às refeições, destacando a proibição a crianças, grávidas e aleitantes.

Em simultâneo são veiculados outros princípios associados a este PAM, nomeadamente:

  • Respeito pela sazonalidade e preferência pela proveniência local dos alimentos
  • Incentivo à incorporação de ervas aromáticas como veículo de maior sabor em detrimento do abuso do sal de adição
  • Promoção da utilização e transmissão geracional de técnicas culinárias saudáveis tradicionais, como sopas, ensopados e caldeiradas…
  • Incentivo ao tempo dedicado à confeção dos alimentos e sua inserção no quotidiano através da partilha com família e amigos
  • Combate ao sedentarismo pelo incremento ao tempo dedicado a atividades de lazer.

O seu desenvolvimento esteve a cargo de uma equipa da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto já responsável pela anterior Roda dos Alimentos, as Prof. Sara Rodrigues e Bela Franchini. A sua construção teve inicio em setembro de 2015, envolvendo a consulta de outros parceiros como a Direção-Geral do Consumidor e a auscultação da opinião de peritos de diferentes áreas e instituições. Seguiu-se um longo processo de diálogo com elementos da área de design, no sentido da concretização de uma representação gráfica atrativa e clara da mensagem a transmitir.

A RODA DA ALIMENTAÇÃO MEDITERRÂNICA

Licínia Simões – coordenadora do PES

Projeto Conta Peso e Medida

3º Prémio

Gonçalo Gomes – 5ºA

Parabéns!

Licínia Simões – coordenadora do PES

Projeto “Conta Peso e Medida”

2º Prémio

Gabriela C. – 5ºC

Gonçalo B – 5ºC

Tiago A. – 5ºC

IMG_3511

Licínia Simões – coordenadora do PES

%d bloggers like this: