Skip to content

O cantinho dos afetos… e da saúde

Agrupamento de Escolas de Anadia

 

Em 2012, ANO EUROPEU DO ENVELHECIMENTO ATIVO E DA SOLIDARIEDADE ENTRE GERAÇÕES, foi possível implementar o projecto “Antecipar a Experiência de Ser Idoso” a alunos do Agrupamento de Escolas de Anadia. Num primeiro momento os alunos do 9º ano da Escola Básica Nº 2 de Vilarinho do Bairro, utilizaram um “simulador de pessoa idosa”, equipamento adquirido pela Escola Superior de Enfermagem de Coimbra para os contextos de ensino/aprendizagem. Este equipamento permite: simular as mudanças que ocorrem no corpo humano à medida que envelhece, designadamente, na postura, na marcha, na visão e na audição. Com esta iniciativa pretende-se dar oportunidade aos participantes de se “colocarem na pele” dos idosos, experienciar as limitações e compreender aquilo que eles sentem. E tem como objectivos:

· Sensibilizar os jovens para o fenómeno do envelhecimento;

· Reflectir sobre o impacto dos efeitos do envelhecimento na vida diária da pessoa em processo de envelhecimento;

· Promover valores de igualdade e de cidadania.

Este ano, 2013, estendeu-se a iniciativa aos alunos do 11ºE, 11ºD e 9ºA da Escola Secundária de Anadia.  Colaboraram na atividade os estagiários da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Joana Domingos Martins, Marta Duarte Dias, Pedro Miguel Mateus Monteiro, Telma Maria Barbosa Alves Pinto.

Ficam aqui alguns depoimentos.

Enfª  Lígia Antunes

“No dia 14 de Março de 2013 tivemos a oportunidade de conhecer como é ser idoso através da atividade “Antecipar a experiência de ser isso” promovida pela Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, dirigida por Lígia Antunes em colaboração com estudantes de enfermagem a realizar ensino clínico na área de Enfermagem de Saúde do Idoso e Geriatria.

A equipa responsável pela atividade equipou-nos com alguns artefactos de modo aproximarmo-nos da realidade de ser idoso.

Os obstáculos como subir ou descer escadas, sentar nas cadeiras, deitar, vestir, contar dinheiro, beber água ou até mesmo a mais banal de todas “ver” que é tão simples para nós jovens depois daquele equipamento todo deixou de ser tarefa fácil.

A vida começa mesmo a complicar-se porque precisamos de apoio para quase tudo.

A dificuldade que mais sentimos foi a alteração do nosso campo de visão. Passou a ser tão reduzido comparando com o atual, que praticamente não víamos nada à nossa volta. Só podíamos olhar em frente porque isso era a única coisa que conseguíamos observar.

Agora que já retirámos aquele equipamento todo e voltamos a “sentir” a juventude de novo, percebemos que ser idoso não é como nós pensamos, ou seja, “os idosos não fazem nada o dia todo e queixam-se por tudo e por nada”. O esforço que fazem para fazer as atividades básicas do quotidiano é uma aventura e um desafio quase impossível.

Esta atividade proporcionou-nos por minutos sabermos quais as limitações de um corpo idoso, mas não nos podemos esquecer que estes não só têm um corpo debilitado, como também uma mente que com o tempo vai se degenerando o que requer paciência e carinho.

Os idosos são pessoas que merecem o nosso respeito, compreensão, ajuda e admiração pois depois das lutas da flor da juventude lutam cada dia contra os desafios da terceira idade.”

Cristiano Jesus e Sara Martins (11ºD)

???????????????????????????????

“No âmbito do ANO EUROPEU DO ENVELHECIMENTO ATIVO E DA SOLIDARIEDADE ENTRE GERAÇÕES promoveu-se, no dia 14 de Março de 2013, uma ação de sensibilização através da atividade “Antecipar a experiência de ser idoso” que decorreu na Escola Secundária de Anadia.

Com a ajuda de um simulador de idosos, os jovens puderam experienciar as dificuldades e os obstáculos com que os mais velhos têm de lidar. A maioria dos alunos queixava-se de:

· Dificuldade em andar;

· Dificuldade em descer e subir escadas;

· Alguma dificuldade em abrir porta;

· Muita dificuldade em sentar e levantar;

 · Muita dificuldade em levar um copo de plástico com água à boca;

· Muita dificuldade em pentear;

· Muita dificuldade em deitar e levantar;

· Desequilíbrio ou tendência para abrir as pernas para manter equilíbrio;

· Visão limitada;

· Sensação de peso no corpo;

· Falta de sensibilidade;

· Dificuldade em escrever;

· Dificuldade em agarrar coisas pequenas;

· Dificuldade em apertar sapatos;

· Dificuldade em abotoar a camisa;

No final, todos acharam que foi uma experiência interessante e educativa, mas o melhor foi o alívio do rejuvenescimento. A frase que ficou foi: “Adoro ser criança!”.

Mariana Amaral (9ºA)

%d bloggers like this: