Skip to content

O cantinho dos afetos… e da saúde

Agrupamento de Escolas de Anadia

Category Archives: Crescimento

A média de crescimento de uma criança é de mais de 4 cm por ano. Na puberdade, porém, esse valor sobe para 12 cm ou 13 cm a cada ano. A avaliação do desenvolvimento estato-ponderal da criança é feita através de uns gráficos existentes no livro de saúde infantil, designados por curvas de percentis. Cada criança tem o seu próprio padrão de desenvolvimento e depende de muitos fatores tais como padrões genéticos, fatores ambientais e estilos de vida.

Provavelmente, o teu crescimento mantem-se próximo da curva de percentil que tinhas antes da puberdade e, se assim for, o crescimento é normal. Podes ver a tua curva de crescimento no teu livro de saúde infantil (azul para os rapazes e cor de rosa para as raparigas). Contudo, se o crescimento muito rápido te preocupa deves consultar um pediatra.

meninas

meninos

Enfª Lígia Antunes

Anúncios

Nós não crescemos todos ao mesmo ritmo, o crescimento das pessoas está dependente de uma glândula, a hipófise, que liberta substâncias chamadas hormonas do crescimento.

As hormonas de crescimento, juntamente com uma substância fabricada no fígado, a somatomedina C, ligam-se às cartilagens que ficam nas extremidades dos ossos e desencadeiam a formação de novas células ósseas. Isso vai acontecendo lenta e regularmente, até as hormonas sexuais entrarem em acção. A partir daí, o menino ou a menina começam a crescer a uma velocidade espantosa.

É comum uma rapariga de 14 anos, que ainda não seja menstruada ou um rapaz que ainda não teve a primeira ejaculação, serem os mais baixinhos da turma. Isto acontece porque as hormonas sexuais ainda irão desenvolver-se e eles, inevitavelmente, ganharão alguns centímetros.

Enfª Lígia Antunes

É tudo culpa das hormonas!

Essas mudanças acontecem por causa das hormonas, substâncias que temos no nosso corpo, que são mensageiros químicos que determinam onde e como o nosso corpo se vai modificar e/ou crescer. Assim, as hormonas de crescimento são tão importantes quanto as hormonas sexuais, o estrógenio e a progesterona produzidos pelo ovário da mulher, e a testosterona, produzido no testículo, do homem.

Além disso, há outras partes do nosso corpo que também produzem hormonas e estão, também, envolvidas nessa transformação. Por exemplo, a hipófise, pequena glândula localizada no nosso cérebro, produz as hormonas folículo estimulante – FSH- e a luteínica –LH- que, por sua vez, enviam mensagens para os ovários na mulher e para os testículos no homem para que eles comecem a produzir as hormonas sexuais e assim amadurecer os óvulos na mulher e a produzir espermatozóides no homem.

Há também outras substâncias que participam nessas transformações e que não são hormonas, são os neurotransmissores, que são substâncias que têm a função de transmitir os impulsos nervosos de uma hormona para outra. Todas essas hormonas e substâncias químicas vão fazer com que o nosso corpo comece a mudar e ganhar novas forma. Com tanta transformação é normal que tenhas medo de crescer, pois as mudanças que o teu corpo está a sofrer ocorrem muito depressa, sem que tenhas controlo no que acontece. Parece não teres consciência daquilo que se passa, não entendes o porquê de tantas alterações corporais e acabas, muitas vezes, por não te sentires à vontade com o teu próprio corpo e com tudo que está a acontecer. Estas mudanças levam a um aumento da sensibilidade, da irritabilidade e da oscilação de humor e de ânimo.

Recordo-te que viver às vezes dói, crescer pode parecer confuso, mas deves sentir e guardar a beleza que a vida encerra. Mesmo quando tudo parece sombrio e triste, há sempre o cheiro das flores, a luz de uma estrela, o som das ondas, o calor de uma mão amiga. Basta que tenhas os olhos, os ouvidos e todos os teus sentidos bem acordados para perceber tudo o que existe de bom em ti, na natureza e no caminho que percorres!

Enfª Lígia Antunes

%d bloggers like this: