Skip to content

O cantinho dos afetos… e da saúde

Agrupamento de Escolas de Anadia

ebsa

Foi com muita alegria, animação e, claro, vontade de comer sopa, que no dia 15 de outubro de 2015, pelas 12:00, no átrio da Escola Básica e Secundária de Anadia, decorado para o efeito com trabalhos realizados em EV pelos alunos do 5º e 6º ano e cartazes elaborados pelas turmas do 9º ano, se deu início à VI Mostra de Sopas. Este evento integra-se num conjunto de atividades que o PES (Projeto de Educação para a Saúde) tem vindo a desenvolver no sentido de aproximar a comunidade à escola, nomeadamente os encarregados de educação, que se fizeram representar nesta instituição de ensino trazendo os mais diversos tipos de sopa: caldo verde, canja, cenoura, beterraba, sopa da pedra, de peixe, grão-de-bico, feijão-verde, cogumelos, de rabo de porco lavadinho, de tomate, de ovos, de legumes, etc., num total de mais de 48 sopas que deliciaram todos os participantes – alunos, pais, EE., familiares, professores e funcionários.

As sopas estavam devidamente expostas em mesas; cada participante apresentava e servia a sua, tendo cada local a indicação do nome da sopa; esta podia ser ainda acompanhada de broa. Os alunos podiam das sopas que quisessem. No final, como agradecimento pela colaboração, a coordenadora do PES entregou uma oferta simbólica a cada um dos participantes nesta atividade (uma concha).

Os objetivos de promover a interação com a comunidade local, tornando a escola num espaço de convívio, e de redescobrir tradições ligadas à gastronomia regional e a bons hábitos de saúde e alimentação saudável fazem também parte do PEA (Projeto Educativo do Agrupamento).

O sucesso desta atividade pode constatar-se nas centenas de participantes e no interesse e entusiasmo dos intervenientes, em particular a turma de Serviço de Mesa, cuja colaboração foi fundamental para levar a bom termo a atividade e atender a tanto pedido: pudemos comprovar que não apenas os mais velhos, felizmente também os jovens gostam e comem sopa. Talvez seja como dizia Molière: “ Eu vivo de boa sopa e não da palavra”.

Nelly Moreira

(Texto enviado para o Jornal da Bairrada)

%d bloggers like this: