Skip to content

O cantinho dos afetos… e da saúde

Agrupamento de Escolas de Anadia

AVALIAÇÃO DA LEI DO TABACO EM PORTUGAL  20082010 (Excerto)

3.1.7. Consumo nos jovens escolarizados

A Tabela 22 apresenta as prevalências de consumo de tabaco em jovens estudantes, segundo diferentes estudos e anos. Pode ver se a tendência geral de diminuição de hábitos tabágicos embora ao nível do 10º ano a prevalência seja praticamente a mesma desde 2006.

 

De acordo com os resultados dos Inquéritos Nacionais em Meio Escolar (3º Ciclo e Secundário) promovidos pelo Instituto da Droga e da Toxicodependência (IDT), verificouse uma diminuição da prevalência do consumo de tabaco entre 2001 e 2006, quer nos alunos do 3.º ciclo, quer nos alunos a frequentar o ensino secundário (Tabela 23). Esta tendência verificouse em todas as regiões do País. Quanto à evolução das prevalências de consumo ao longo da vida, ou seja ter alguma vez consumido tabaco, ter consumido tabaco no último ano e prevalência nos últimos 30 dias (ter consumido tabaco pelo menos uma vez nos últimos 30 dias), verificouse uma diminuição entre 2001 e 2006, quer nos alunos do 3.º ciclo, quer nos alunos a frequentar o ensino secundário (Tabela 23).

 Os inquéritos “European School, Survey on Alcohol and other Drugs” (ESPAD) também realizados em meio escolar, revelam diminuição da prevalência de consumo de tabaco nos 30 dias anteriores à entrevista (28% em 2003; 19% em 2007). 24,25 O projecto HBSC Comportamentos de Saúde das Crianças em idade escolar é um estudo realizado por múltiplos países em colaboração com a OMS – Europa (Apêndice 1; 1.13, página 117). A população alvo do estudo HBSC é a dos jovens que frequentam a escola, com idades de 11, 13 e 15 anos. O inquérito foi realizado numa amostra representativa a nível nacional obtida em cada uma das três aplicações feitas em 2002, 2006 e 2010. Das muitas facetas inquiridas aos jovens em idade escolar uma que foi sempre incluída foi a questão relativa ao consumo de tabaco. Na Tabela 24 mostrase a evolução do consumo de tabaco (“Fumo diário”) nestes jovens e a evolução de 2002 a 2010. Em todos os níveis de ensino 6.º, 8.º e 10.º ano assistiuse a uma redução para cerca de metade dos níveis de consumo verificados em 2002. No que respeita ao consumo de tabaco incluindo formas menos regulares de consumo, o padrão observado foi semelhante, com decréscimo substancial de 2002 para 2006 e alguma evolução de decréscimo sustentado sobretudo no grupo etário mais jovem.

Observouse uma evolução sustentada de decréscimo do consumo de tabaco nos níveis de escolaridade mais baixos (6.º e 8.º anos) no período de 2006 para 2010, mas no 10.º ano este padrão não parece estar a ocorrer.

Pode consultar o documento completo AQUI

 

http://www.portaldasaude.pt

%d bloggers like this: