Skip to content

O cantinho dos afetos… e da saúde

Agrupamento de Escolas de Anadia

Se durante a relação sexual um espermatozóide encontra um óvulo nas trompas de Falópio e se une a ele, produz-se a fecundação. O ovo desloca-se ao longo da trompa de Falópio demorando entre 5 a 7 dias a atingir a parede uterina. Neste trajecto podem observar-se vários estados apresentados pelo embrião nesse período de tempo que decorre desde o estado de ovo até à implantação no endométrio -nidação. O ovo ao desenvolver-se, não dá somente origem ao embrião. O endométrio fica mais espesso e origina os anexos embrionários indispensáveis para o crescimento e desenvolvimento de um novo ser ao longo dos nove meses seguintes -gravidez.

Ao longo da gravidez, o único ponto de contacto entre mãe e filho é a placenta, que é uma espécie de placa muito irrigada onde terminam os vasos sanguíneos do cordão umbilical. É através da placenta e do cordão umbilical que o embrião recebe nutrientes mas também liberta os seus produtos de excreção.

O desenvolvimento do embrião evolui ao longo de várias fases:

  • durante os primeiros dois meses começa a esboçar-se a formação dos diversos órgãos
  • ao fim do 2º mês o embrião mede cerca de 3 cm e só pesa algumas dezenas de gramas
  • por volta do 3º mês apresenta membros e órgãos já definidos e aparenta mesmo forma humana. Nessa altura, o embrião passa a designar-se por feto. O seu crescimento de 1,5 mm por dia é muito rápido, de tal modo, que se continuasse a crescer a esse ritmo após o nascimento atingiria, aos cinco anos de idade, os 3 metros de altura;
  • do 3º ao 6º mês os órgãos completam a sua formação e o feto adquire proporções mais regulares, mantendo, contudo, a cabeça bastante volumosa Os seus movimentos começam a ser sentidos pela mãe;
  • os últimos dois meses de gestação ultima-se o desenvolvimento.
  • por volta dos nove meses, o bebé, já totalmente formado, está pronto para nascer. Tem lugar o parto.

 

Enfª Lígia Antunes

%d bloggers like this: