Skip to content

O cantinho dos afetos… e da saúde

Agrupamento de Escolas de Anadia

Dentro da tua barriga, encontra-se o teu útero, que é o local onde um bebé se desenvolve até ser altura de nascer.Para chegarem ao útero, os espermatozóides têm de atravessar o colo do útero. O colo do útero é uma parte muito importante do teu corpo, porque é uma estrutura que estabelece a comunicação com o teu útero. Assemelha-se um pouco a um cone de gelado virado ao contrário. O que o colo do útero tem de bom, é que, em geral, se encontra fechado, excepto em ocasiões muito especiais, como durante o parto, em que se abre amplamente, ou durante a altura em que estás com o período, em que se abre um pouco, para deixar gotejar o período. Tem a capacidade de manter todo o interior seguro e limpo, e nada pode passar através dele, devido à sua forma de cone. Assim, o que quer que seja que tu coloques na vagina, não se pode perder ou desaparecer para outra parte do teu corpo.

No topo do teu útero, existem dois tubos que se dirigem um para a esquerda e o outro para a direita São as denominadas trompas de Falópio, que se destinam a levar o óvulo desde o local de origem – o ovário – até ao seu destino – o útero. As trompas de Falópio têm aproximadamente o tamanho do teu dedo indicador na parte exterior e a largura de um cabelo no interior.

No fim de cada trompa, existe um ovário. Cada ovário, só para que saibas, tem o tamanho aproximado de uma uva grande.

No interior dos teus ovários, estão os óvulos. Eles sempre lá estiveram, desde o teu nascimento. Centenas de milhares deles. Mas não “fazem” nada de nada, até entrares na puberdade.

Quando entras na puberdade, as hormonas do teu corpo estimulam os óvulos a desenvolver-se e, então, são libertados um de cada vez (ou, muito raramente, dois); em seguida, eles deslocam-se pela trompa de Falópio até ao útero. A libertação de um óvulo é denominada ovulação.

Quando ocorre a ovulação, em cada mês, podes engravidar e ter um bebé. Espera um pouco!

Os óvulos não são bebés. Têm de ser “fertilizados” por um espermatozóide, e só depois se desenvolve um bebé.

Enfª Lígia Antunes

%d bloggers like this: