Skip to content

O cantinho dos afetos… e da saúde

Agrupamento de Escolas de Anadia

Sim, mas a sua eficácia é limitada: são a abstinência periódica e o coito interrompido.

Os métodos de abstinência periódica consistem em não ter relações coitais durante os dias férteis da mulher; para isso, deve ter-se em conta o momento da ovulação e a capacidade de vida do óvulo e do espermatozóide.

Existem duas variantes:

  • O método Ogino-Knauss ou o método do calendário – consiste em determinar o dia provável da ovulação (logo, os possíveis dias férteis e não férteis) a partir da observação do calendário, relacionando-o com o ciclo menstrual.
  • O método das temperaturas ou térmico – consiste em determinar os dias férteis e os dias seguros a partir da observação da temperatura basal. Ao longo do ciclo a temperatura varia aumentando ligeiramente na ovulação.

Método Billings ou muco – o muco cervical (secreção do colo uterino) altera-se ao longo do ciclo. A sua rigorosa observação permite determinar os dias seguros e os dias férteis. Na altura da ovulação o muco torna-se mais espesso e abundante.

Método Sinto-Térmico resulta da observação conjunta da temperatura basal, do muco, do calendário e eventuais sintomas que ocorram na altura da ovulação.

Estes métodos oferecem pouca eficácia como métodos contraceptivos; no entanto, podem utilizar-se no sentido inverso para favorecer a gravidez.

  • O coito interrompido consiste em retirar o pénis da vagina antes da ejaculação.

Não é um método contraceptivo, mas sim uma prática muito pouco segura que, além de poder dar origem a uma gravidez, provoca ansiedade em ambos os parceiros podendo também ser causa de futuros distúrbios psicossexuais.

Recordemos também que, antes da ejaculação se produz uma pequena emissão de líquido proveniente das glândulas de Cowper, não perceptível por nenhum dos parceiros, mas que, no entanto, pode conter espermatozóides.

Enfª Carmen Santos

%d bloggers like this: