Skip to content

O cantinho dos afetos… e da saúde

Agrupamento de Escolas de Anadia

Projecto Educação para a Saúde do Agrupamento de Escolas de Anadia

Foi a primeira actividade conjunta do Agrupamento de Escolas de Anadia, realizada na 6ª-f., dia 15 de Outubro. Como tem ocorrido em anos anteriores, quando ainda apenas organizada na Escola Básica nº 2 de Vilarinho do Bairro, a Mostra de Sopas foi uma actividade que englobou a comunidade educativa das três grandes escolas do novo Agrupamento de Escolas de Anadia: Secundária, “Ciclo” (EB 2,3 de Anadia) e EB 2,3 de Vilarinho do Bairro (a chamada Básica nº 2).

Desenrolou-se no âmbito do Projecto Educação para a Saúde, pela quarta vez em Vilarinho, escola pioneira nesta actividade. Tinha como principais objectivos: Comemorar o Dia Mundial da Alimentação; fomentar a adopção de comportamentos e hábitos alimentares saudáveis; sensibilizar a comunidade educativa para a importância da sopa na alimentação quotidiana; promover a recuperação do uso da sopa nos hábitos alimentares das famílias e ainda o envolvimento dos Pais no Projecto de Educação para a Saúde.

Sendo esta uma actividade já com tradição em Vilarinho do Bairro, interessará referir que a adesão nas outras duas escolas foi muito positiva. Assim, na Secundária e na Básica de Anadia houve respectivamente 21 e 33 sopas (sem referir as da cantina), contabilizando-se mais de 115 pessoas a alimentarem-se só de sopa. Vilarinho apresentou um número intermédio de sopas (26), mas passou de 100 o número de participantes!

Ainda relativamente à Secundária, a maior fatia de turmas participantes pertencia ao 3º CEB, contando-se ainda com a participação dos grupos disciplinares de Ciências Experimentais e de Educação Moral e Religiosa Católica, para além do Departamento de Línguas. De realçar, ainda, que os alunos de Artes do 10º Ano participaram, apresentando cartazes alusivos ao Dia da Alimentação. O Grupo de Ciências elaborou uma roda dos alimentos em três dimensões, com os próprios produtos.

Algumas das sopas desta escola fogem um pouco do normal, podendo destacar-se, a título de exemplo, a ‘sopa ucraniana’, para além da ‘sopa da pedra’ ou da ‘sopa de salmão’.

O destaque vai ainda para uma Directora de Turma, que, além de a confeccionar, também apresentou a “Sopa da Pedra”, servindo-a vestida de monge. E uma Encarregada de Educação ofereceu um cesto de broa caseira, que fez as delícias de todos quantos a saborearam.

No que se refere à Básica de Anadia, deve realçar-se que apenas três turmas não participaram na actividade, mas também que houve várias que apresentaram duas ou três sopas!

Também surgiram algumas sopas que fugiam da rotina, como a sopa ucraniana, ou a sopa de trigo (característica da ilha da Madeira), bem como a sopa de coentros, confeccionada pela turma de Projecto Curricular Alternativo (em colaboração com os respectivos docentes). Esta turma ainda confeccionou e apresentou doce de abóbora e marmelada.

Muito interessante, ainda, o facto de uma Directora de uma Turma do 8º Ano ter chamado a si a responsabilidade de confeccionar a sopa da sua turma. Colaboração que se estendeu também à Associação de Pais, cujo Presidente serviu a sopa feita pela respectiva Vice-Presidente.

Relativamente à Básica de Vilarinho do Bairro, este foi o quarto ano em que desenvolveu esta actividade. Aqui todas as turmas estiveram representadas com (pelo menos) uma sopa, havendo algumas turmas que apresentaram duas e mesmo uma turma do 5º Ano serviu três sopas.

Várias sopas também apresentavam algumas inovações. Uma foi a sopa de urtigas, inserida num projecto mais abrangente de recuperar sabores caídos em desuso; outra foi a canja a doentes (de fazer ressuscitar um morto!), resultado de pesquisas no âmbito da gastronomia tradicional portuguesa. Tal permite-nos saber, por exemplo, que esta sopa foi servida a Arthur Wellesley, no início de Agosto de 1808, depois do desembarque inglês a sul da Figueira da Foz.

Foi importante a colaboração de alguns Departamentos, com destaque para o de Ciências Sociais e Humanas, bem como do Ensino Especial ou da Biblioteca. Neste caso é mesmo de realçar o empenhamento pessoal da professora Bibliotecária, aliás a exemplo dos anos transactos. Para além de apresentar uma sopa, a Biblioteca organizou uma exposição bibliográfica alusiva à gastronomia e importância de uma alimentação equilibrada.

Saliente-se, ainda, a ‘Sopa de Valores’ ou a ‘Sopa Virtual’, apresentadas pelas docentes de Educação Moral e Religiosa Católica nas três escolas, cujos ingredientes deveriam ser recorrentemente utilizados por todos…

O Presidente da Comissão Administrativa Provisória fez questão de marcar presença nas três escolas do Agrupamento e em todas colaborar, provando algumas das sopas disponíveis.

É ainda de realçar a preciosa colaboração prestada pelas Assistentes Operacionais da Cozinha, que prontamente aqueceram sopas, cortaram broa, lavaram vezes sem conta tigelas, colheres, etc. Mesmo na Básica de Anadia, que é servida por uma empresa, as funcionárias também foram extremamente colaborativas.

O grupo de docentes do Projecto Educação para a Saúde elaborou um marcador de livros alusivo à data e à actividade, o qual foi distribuído pela comunidade educativa presente.

O balanço final da actividade é muito positivo, o que pode ser verificado pela análise de um questionário de avaliação da actividade, respondido em todas as escolas. Foi unanimemente classificada como muito interessante, respondendo às expectativas e devendo continuar a realizar-se nos próximos anos.

Houve mesmo um Encarregado de Educação que referiu que se deveria “continuar sempre, porque quando se vem a primeira vez a esta actividade volta-se sempre”.

O grupo de trabalho do Projecto Educação para a Saúde agradece a todos o empenhamento evidenciado, com destaque para os Encarregados de Educação, cuja colaboração foi fundamental para que a actividade faça sentido, e também para os alunos, que neste dia sempre vão comendo umas sopinhas, o que tão bem lhes faz. Não esquecendo, é óbvio, os docentes, que “prontamente respondem aos desafios que o grupo de trabalho do PES lhes faz, estando presentes, participando activamente com sopas deliciosas e ajudando pois nestas alturas todas as ajudas são preciosas”!

Aliás, o grupo de trabalho do PES considera que, com o desenvolvimento desta actividade, está a trabalhar para operacionalizar as metas do Agrupamento, nomeadamente “construir uma Escola humanizada e de Valores, onde se desenvolva um bom clima de relações interpessoais e a formação integral (saber, saber-ser, saber-estar, saber-fazer). Pretende-se contribuir para uma Escola aberta e dinâmica que promova a interacção com a Família e com o Meio, a adaptação à mudança, o trabalho em equipa”. 

Rui Godinho

%d bloggers like this: