Skip to content

O cantinho dos afetos… e da saúde

Agrupamento de Escolas de Anadia

Saiba como prevenir os problemas que afectam a saúde oral das crianças, jovens, adultos e idosos.

O que é uma boa higiene oral?

Uma boa higiene oral é aquela que resulta da remoção eficaz dos restos alimentares (principalmente após as refeições) e ao mesmo tempo impossibilita a “ligação” de um conjunto de bactérias aos dentes e gengivas, de forma a impedir a destruição dos dentes pela acção dessas bactérias.

Se as suas gengivas doem ou sangram ao escovar os dentes ou ao usar o fio dentário ou ainda se apresenta mau hálito constante ou sensibilidade dolorosa nos dentes e gengivas, deve visitar um profissional de saúde oral. Qualquer uma destas situações pode resultar de um problema de saúde e por si só pode originar importantes impactos na sua qualidade de vida.

A higiene oral é o principal factor salutogénico da cavidade oral. Assim, quase todas as doenças que afectam a cavidade oral podem ver a sua progressão travada pela existência de uma correcta e eficaz higiene.

A principal função da higiene oral é a remoção da placa bacteriana da superfície dos dentes e deve iniciar-se como hábito diário desde a erupção do primeiro dente do bebé.

O que é a placa bacteriana?

A placa bacteriana ou biofilme oral é uma película aderente e transparente constituída por bactérias e seus produtos, formando-se constantemente sobre os seus dentes e gengivas. É a principal causa da cárie dentária e das doenças periodontais que podem levar à perda de dentes.

Inicialmente esta película assume uma consistência mole e, se não for removida nesta fase, ela vai mineralizar, tornando-se dura (designando-se de tártaro ou cálculo). Para remover o tártaro é necessário um conjunto de procedimentos clínicos (destartarização e outros), executados por profissionais de saúde oral.

Como sei que tenho placa bacteriana?

Todos nós desenvolvemos placa bacteriana. As bactérias proliferam constantemente na nossa boca. Para crescerem, estas bactérias utilizam ingredientes encontrados na nossa dieta e saliva. A placa bacteriana, em presença de hidratos de carbono (especialmente açúcares) produz os ácidos que vão desmineralizar os tecidos duros do dente (esmalte e dentina). Assim, sempre que se ingerem alimentos ou bebidas açucaradas, produzem-se ácidos. Com os ataques ácidos repetidos, o esmalte deteriora-se e as lesões de cárie iniciam-se.

A placa bacteriana que não é removida também provoca inflamação gengival, conduzindo à gengivite (gengivas vermelhas, inchadas e sangrantes).

Existem produtos, denominados reveladores de placa bacteriana, cuja principal função é “dar” cor à placa bacteriana. A sua utilização regular é muito útil para visualizarmos a localização da placa bacteriana e desta forma corrigirmos a técnica de higiene oral.

Como posso evitar que a placa bacteriana se forme?

A formação da placa bacteriana é um processo constante na cavidade oral. Contudo podemos prevenir a sua acumulação e as consequências que daí advêm. Assegure-se de que:

  • Escova cuidadosamente todas as superfícies dos dentes pelo menos duas vezes por dia;
  • Usa o fio dentário diariamente para remover a placa bacteriana que se acumula entre os dentes e no sulco gengival;
  • Modera o consumo de alimentos e bebidas açucarados (bolos, bolachas, pão achocolatado, batatas fritas, refrigerantes, etc.), pois estes facilitam a adesão das bactérias às faces dentárias e são usados para a produção de ácidos que destroem os dentes;
  • Se necessário, existem agentes antibacterianos (como a clorhexidina), amplamente aplicados em medicina dentária, através de soluções de bochecho ou em dentífricos e que apresentam altas taxas de eficácia na redução e controle do biofilme oral. Aconselhe-se com um profissional de saúde oral.

Cuidados para uma boa higiene oral

Manter uma boa higiene oral é um dos comportamentos mais importantes que pode ter pelos seus dentes e pelas suas gengivas.

O cuidado diário preventivo, que inclui a escovagem e o correcto uso do fio dentário, ajudá-lo-á a preservar a sua saúde oral e consequentemente a sua saúde em geral.

Os principais cuidados a executar para ter uma correcta higiene oral são:

  • Escovar os dentes pelo menos duas vezes por dia, sendo que uma delas deve ser, obrigatoriamente, antes de se deitar;
  • Utilizar sempre um dentífrico com 1.000 a 1.500 ppm de flúor;
  • Utilizar uma escova de tamanho adequado. Normalmente as escovas dentárias devem ter uma cabeça pequena e serem macias, para evitar lesões sobre os dentes e gengivas;
  • Utilizar diariamente fio ou fita dentária para retirar restos alimentares e bactérias dos espaços que existem entre os dentes e entre estes e as gengivas. O seu uso deve ser executado antes da escovagem, para que a acção protectora do dentífrico seja mais prolongada;
  • O recurso a elixires ou colutórios para bochecho deve ter uma indicação clínica, pois não são todos iguais e os produtos utilizados podem ter aplicações bastante diferentes. Deve por esse motivo seguir as indicações dos profissionais de saúde oral;
  • Nas crianças, o acto de higiene oral deve ser sempre supervisionado pelos pais, tendo especial atenção à quantidade de dentífrico colocado na escova e possibilidade de ingestão do mesmo;
  • Em alguns casos pode existir indicação clínica para recurso a suplementos fluoretados;
  • No final da higiene oral não se deve passar a boca por água, mas sim cuspir os excesso de dentífrico, pois assim a acção dos compostos fluoretados ou antimicrobianos será mais prolongada

Técnica correcta de escovagem

Nas crianças até 5/6 anos

  • O início dos hábitos de higiene oral deve ocorrer logo desde a erupção do primeiro dente do bebé;
  • Devem ser executados suaves movimentos de rotação sobre cada face dentária e em todas as faces, seguindo uma sequência de dente a dente;
  • No final pode ser executada a escovagem da língua, desde a base até à ponta.

Nos adolescentes e adultos

  • Incline a escova em direcção à gengiva num ângulo de 45º de encontro à gengiva e faça pequenos movimentos horizontais e vibratórios, tipo vaivém ou circulares, de modo a que os pêlos da escova limpem o sulco gengival (espaço que fica entre o dente e a gengiva). Faça cerca de dez movimentos nas superfícies dentárias abrangidas pela escova;
  • A escova deve abranger dois dentes de cada vez;
  • Escove com uma sequência que permita que todas as superfícies dentárias sejam escovadas. Comece num extremo do maxilar e acabe no outro extremo;
  • Escove suavemente as superfícies exteriores (do lado da bochecha) e interiores (do lado da língua);
  • Escove as superfícies de mastigação, fazendo movimentos curtos tipo vaivém;
  • Escove a sua língua suavemente, desde a base em direcção à ponta, de modo a remover as bactérias e a refrescar o seu hálito;
  • E nunca é demais reforçar: a escovagem dos dentes demora 2 a 3 minutos.

Que tipo de escova devo usar?

A maioria dos profissionais de saúde oral concorda que uma escova macia é a melhor para remover a placa bacteriana e os restos alimentares dos seus dentes. As escovas com cabeças pequenas também são as preferidas, pois podem chegar mais facilmente a todas as áreas da boca, incluindo os dentes posteriores de acesso mais difícil, sem provocarem lesões.

Uma escova eléctrica que execute ligeiros movimentos de rotação tipo vaivém será também uma boa alternativa, particularmente para pessoas que têm mais dificuldades em escovar, com menos destreza manual ou quando se trata de cuidar da higiene oral de outros indivíduos. A única diferença em relação à escova manual é que a escova eléctrica faz os movimentos automaticamente e tem uma cabeça mais pequena. Assim escova-se um dente de cada vez e não se faz qualquer movimento de escovagem. É necessário seguir uma sequência para não ficar nenhuma superfície dentária por escovar.

Técnica correcta para o uso do fio dentário (ou fita dentária)

  • Use, aproximadamente, 40 centímetros de fio dentário;
  • Enrole a quase totalidade do fio no dedo médio de uma mão e uma pequena porção no dedo médio da outra mão, deixando entre os dois dedos médios uma porção de fio, com cerca de 2 a 3 cm. À medida que se vai utilizando o fio, enrola-se num dedo e desenrola-se no outro. É importante usar sempre fio limpo em cada espaço interdentário. Os polegares e os indicadores ajudam a manuseá-lo;
  • Introduza o fio entre dois dentes e curve-o à volta de cada um deles, fazendo pequenos movimentos horizontais até chegar ao sulco gengival;
  • O fio deve ser utilizado cuidadosamente para não magoar as gengivas;
  • O fio dentário deve ser utilizado antes da escovagem dos dentes, pois assim permite que os agentes preventivos do dentífrico actuem durante mais tempo nas faces dentárias livres de resíduos.

Quando é que se deve começar a usar o fio dentário?

A partir da altura em que se tem destreza manual para o usar. Normalmente as crianças a partir dos 8/9 anos já conseguem manuseá-lo. Até essa idade, são os pais que poderão executar essa tarefa. 

Como fazer a escovagem dos dentes (clica na imagem)

Como utilizar o fio dentário (clica na imagem)

Fonte: http://www.portaldasaude.pt 
              

 

%d bloggers like this: